Resumo em Português



Andreza Garcia de Gouveia
Pesquisadora e Doutoranda em Meio Ambiente (PPGMA/UERJ)

Rosa Maria Formiga Johnsson
Doutora em Ciências e Técnicas Ambientais pela Université de Paris-Est Créteil (França); Professora da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)

Ana Lucia Nogueira de Paiva Britto
Doutora em Urbanismo pelo Institut D'Urbanisme de Paris - Université de Paris XII (Paris-Val-de-Marne); Professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo e do Programa de Pós-graduação em Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro

Escassez hidrossocial no município de São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro

Este artigo procura caracterizar a situação atual do abastecimento de água em um distrito do município de São Gonçalo, na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, à luz do conceito de escassez hidrossocial. Esta teoria da ecologia política considera que a circulação da água está diretamente associada à circulação de dinheiro e capital nos espaços urbanos. Em uma primeira etapa da pesquisa, foram utilizados dados do censo demográfico do IBGE de 2010 e informações do Plano Municipal de Saneamento de São Gonçalo. Posteriormente, por meio de um trabalho de campo, investigou-se dois setores censitários do município com baixos índices socioeconômicos: um com abastecimento público de água por rede geral e outro com abastecimento individual por meio de poços. Constatou-se que a situação do acesso a água tratada no interior do município favorece as áreas com indicadores sociais e econômicos mais elevados e penaliza a população mais pobre, à medida que aprofunda a segregação sócio-espacial já existente no município.

 

Referências

BAKKER, K. Water: Political, biopolitical, material. Social Studies of Science, 42(4), p. 616–623, 2002.

BEZERRA, F. O.; FRANCISCO, B. H. R. Arqueologia industrial e da paisagem em antiga mina no RJ. 20 maio 2003. Disponível em: . Acesso em: 06 mai. 2017.

BOELENS, R.; HOOGESTEGER, J.; SWYNGEDOUW, E; VOS, J. & WESTER, P. Hydrosocial territories: a politicalecology perspective. Water International, 41 (1), p.1-14, 2016.

BRASIL. Lei nº 11.445 de 05 de janeiro de 2007.  Lei de saneamento básico.

______. Lei n° 14.026 de 15 de julho de 2020. Novo marco legal do saneamento básico.

______. Ministério das Cidades. Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento – SNIS. Série Histórica (2018). Disponível em: . Acesso em: 13 dez. 2019.

BRITTO, A. L.; QUINTSLR. S.; MAIELLO. A. Acesso diferencial à água em Duque de Caxias – RJ: quem define os caminhos da água na metrópole? In: 12° SILUSBA. Simpósio de Hidráulica e Recursos Hídricos dos Países de Língua Portuguesa. Brasília: SILUSBA, 2015. 

BRITTO, A. L.; FORMIGA-JOHNSSON, R. M.; CARNEIRO, P. R. F. Abastecimento público e escassez hidrossocial na Metrópole do Rio de Janeiro. Ambiente & Sociedade. São Paulo v. XIX, n. 1, p. 185-208, jan.-mar. 2016. 

BRITTO, A. L.; GOUVEIA, A. G.; GONÇALVES, T. G. B.; FORMIGA-JOHNSSON, R. M. A segregação socioespacial no município de São Gonçalo, RJ: uma análise a partir do acesso ao saneamento básico. In: XVII ENCONTRO NACIONAL DA ANPUR. São Paulo: ANPUR, 2017. 23p.

CEDAE. Companhia Estadual de Águas e Esgotos. Relatórios da Administração e Demonstrações Financeiras – anos 2012 a 2017. Disponível em: . Acesso em: 29 jun. 2019.  

ENCIBRA. Plano Municipal de Saneamento Básico do Município de São Gonçalo – PMSSG. 2014a. 

______. Plano Municipal de Saneamento Básico do Município de São Gonçalo - PMSSG, Diagnóstico Sistema de Abastecimento de Água, 2014b. 

FORMIGA-JOHNSSON, R. M.BRITTO, A. L. N. P. Water security, metropolitan supply and climate change: some considerations concerning the Rio de Janeiro case. AMBIENTE E SOCIEDADE (CAMPINAS), v. 23, p. 1-22, 2020.

GOUVEIA, A. G. Escassez hidrossocial e abastecimento de água: o caso do município de São Gonçalo, Rio de Janeiro. 2017. 203p. Dissertação (Mestrado em Engenharia Ambiental e Sanitária) – Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2017.

GUY, S.; MARVIN, S.; MEDD, W.; MOSS, T. Shaping Urban Infrastructures: Intermediaries and the Governance of Socio-Technical Networks, London: Earthscan, 2010.

IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística.  Censo Demográfico 2010: Resultados do Universo por Setor Censitário. Rio de Janeiro, 2011.

______. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Cidades: São Gonçalo (2020). Disponível em: . Acesso em: 03 mai. 2021.

INEA. Fundação COPPETEC. Plano Estadual de Recursos Hídricos do Estado do Rio de Janeiro. Fontes Alternativas para o Abastecimento do Estado do Rio de Janeiro, com ênfase na RMRJ, 2014.

LINTON, J.; BUDDS, J. The hydrosocial cycle: Defining and mobilizing a relational-dialectical approach to water. Geoforum, v.57, p.170-180, 2014.

LOFTUS, A. Working the Socio-Natural Relations of the Urban Waterscape in South Africa. International Journal of Urban and Regional Research, v. 31.1, p.41-59, 2007.

MENDONÇA, A. M. Transformações sócio-econômicas no eixo Niterói-Manilha em São Gonçalo/RJ. 2007. 249p. Tese (Doutorado em Planejamento Urbano e Regional) – Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano e Regional, Universidade Federal do Rio Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

PERREAULT, T. What kind of governance for what kind of equity? Towards a theorization of justice in water governance. Water International, 39(2), p. 233–245, 2014.

PDUI - Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano Integrado da Região Metropolitana do Rio de Janeiro. Produto 18: Tomo I. Disponível em: < https://www.modelarametropole.com.br/wp-content/uploads/2018/09/Produto-18-Tomo-1.pdf>. Acesso em 20 mai. 2019.

QUINTSLR, S. A (re)Produção da Desigualdade Ambiental na Metrópole: conflitos pela água, ‘crise hídrica’ e macrossistema de abastecimento no Rio de Janeiro. Tese (Doutorado em Planejamento Urbano e Regional), Universidade Federal do Rio Janeiro, Rio de Janeiro, 2018.

ONU - Organização das Nações Unidas. O direito humano a água e ao saneamento, 2010. 

SWYNGEDOUW, E. Privatizando o H2O: Transformando águas locais em dinheiro global. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 6, n. 1, mai., 2004a.

______. Social Power and the Urbanization of Water: Flows of Power. New York: Oxford University Press, 2004b. 226 p. 

______. The Political Economy and Political Ecology of the Hydro-Social. Journal of 10. Contemporary Water Research & Education, n.142, p. 56-60, aug. 2009.

TCE/RJ - Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro. Estudos Socioeconômicos (São Gonçalo/RJ). Rio de Janeiro: Secretaria-Geral de Planejamento, 2015. 

Resumo em Inglês - Texto

Download PDF

Voltar