O papel da água na atuação e reflexão do planejamento regional brasileiro: uma perspectiva histórica


Hugo Kamiya Tsutsui
Mestre em Planejamento e Gestão do Território pela Universidade Federal do ABC (UFABC)

Vanessa Lucena Empinotti
Doutora em Geografia pela University of Colorado Boulder; Professora de Planejamento e Política Rural na Universidade Federal do ABC

Referências

ABERS, R. N.; JORGE, K. D. D. Descentralização da gestão da água: por que os comitês de bacia estão sendo criados? Ambiente & Sociedade, v. VIII, n. 2, jul./dez. 2005.

ABERS, R. N.; Keck, M. E. Pratical authority: agency and institutional change in Brazilian water politics. Oxford University Press, 2013.

ACHKAR, M.; DOMÍNGUEZ, A. La gestion del agua desde la geopolitica trasnacional y desde los territorios de la integracion. (p. 27-56). In: SOARES, D.; VARGAS, S.; NUNO, M. R. (Orgs.). La gestión de los recursos hídricos: realidades y perspectivas, 2008.

ARAÚJO, F. G. B. de. Modernização e conflito no Brasil contemporâneo. In: Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional, 4. Anais... v. 1, p. 221-227, Salvador, 1991.

ARRETCHE, M. Estado federativo e políticas sociais: determinantes da descentralização. São Paulo, Revan, 2000.

BRANDÃO, C. Acumulação primitiva permanente e desenvolvimento capitalista no Brasil contemporâneo. In: ALMEIDA, A. W. B. de. (Org.). Capitalismo globalizado e recursos territoriais. Rio de Janeiro: Lamparina, 2010.

__________________ Território e Desenvolvimento. Campinas, SP: Editora Unicamp, 2012.

CANO, W. Concentração econômica e metropolização (p. 209-248). In: CANO, W. (Org.). Ensaios sobre a crise urbana do Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 2011.

CHIQUITO, E. Multiple-purpose river valley development: a repercussão do ideário e das experiências de planejamento regional norte-americanos no Brasil. (p. 40-53). In: BROSE, Markus (Org.). TVA e instituições de desenvolvimento regional: contribuições para a história das ideias. Santa Cruz do Sul: EDUNISC, 2015. 

COOKE, Mission. Brazil on the march. A study in international cooperation. reflections on the report of the american technical mission. NY:Mcgraw-hill Book Company, 1944.

CPDOC. Plano Nacional de Reaparelhamento Econômico. Disponível em: <http://www.fgv.br/cpdoc/acervo/dicionarios/verbete-tematico/plano-nacional-de-reaparelhamento-economico > Acesso em 06/05/2019, 20:50h.

DAGNINO, E.; OLIVERA, A. J.; PANFICHI, A. Para uma outra leitura da disputa pela construção democrática na América Latina. In: DAGNINO, E.; OLIVERA, A. J.; PANFICHI, Al. (Orgs.). A disputa pela construção democrática na América Latina. São Paulo: Paz e Terra, 2006.

DINIZ, C. C. Celso Furtado e o desenvolvimento regional. Nova Economia, Belo Horizonte, v. 19, n. 2, 2009.

EMPINOTTI, V.; JUNIOR, W.; OLIVEIRA, V. Federalism, water, and (de)centralization in Brazil: the case of the São Francisco River water diversion. Regional Environmental Change, v. 18, n.6, 2018.

FELDMAN, S. 1950: a década de crença no planejamento regional no Brasil. Anais do XIII Encontro da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Planejamento Urbano e Regional. 25-29/05/2009, Florianópolis, 2009.

FERNANDES, A.; CANO, W. O movimento do pêndulo: justiça social e escalas espaciais no capitalismo contemporâneo (p. 287-326). In: CANO, Wilson (Org.). Ensaios sobre a crise urbana do Brasil. Campinas: Editora da Unicamp, 2011.

FORMIGA JOHNSSON, R. M. Les eaux brésiliennes: analyse du passage à une gestion intégrée dans l'Etat de São Paulo. Tese de doutorado, Val de Marne: Université Paris XII, 1998.

FURTADO, C. A fantasia desfeita. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1989.

__________________ Obra autobiográfica. Rio de Janeiro: Paz e Terra, v. 2, 1997. 

GARCÍA, P. Á. Hacia una ecología política del agua en Latinamérica. Rev. estud. soc., n. 55, p. 18-31, 2015.  

GEO-BRASIL, Recursos Hídricos. PNUMA, 2007.

GIARRACCA, N.; TEUBAL, M. Disputas por los territorios y recursos naturales: el modelo extractivo. ALASRU Nueva Epoca, v. 5, p. 113-133, 2011.

GOMES, J. P. P.; VIEIRA, M. M. F. O campo da energia elétrica no Brasil de 1880 a 2002. Revista de Administração Pública. Rio de Janeiro 43(2), p. 295-321, mar./abr. 2009.

GONÇALVES, R. Governo Lula e o nacional desenvolvimentismo às avessas. In: Revista Sociedade Brasileira de Economia e Política, São Paulo, n. 31, 2012.

GUERRA, P.; GUERRA, T. Seccas contra as secas. Colleção Mossoroense, 1980.

HIRSCHMAN, A. Estratégia do desenvolvimento econômico. Rio de Janeiro: Fundo de Cultura, 1961.

LEMOS, M.; OLIVEIRA, J. Can Water Reform Survive Politics? Institutional Change and River Basin Management in Ceará, Northeast Brazil. World Development, v. 32, n. 12, p. 2121-2137, 2004.

MAGNAGO, A. A. A Divisão Regional Brasileira – uma revisão bibliográfica. In: RBG Rio de Janeiro, v. 57, n. 04, p. 67-94, 1995.

MOLLE, F.; MOLLINGA, P.; WESTER, P. Hydraulic bureaucracies and the hydraulic mission: Flows of water, flows of power. Water Alternatives, v. 2, n.3, p. 328-349, 2009.

MONTENEGRO, A. T. As ligas camponesas e os conflitos no campo. In: Saeculum; Revista de História, v. 18, João Pessoa, jan/jun. 2008. 

MYRDAL, G. Teoria Econômica e Regiões Subdesenvolvidas. Rio de Janeiro: Editora Saga, 1965.

OLIVEIRA, F. de. A economia brasileira: crítica a razão dualista. Editora Vozes, 1988.

OLIVEIRA, N. C. C. de. A grande aceleração e a construção de barragens hidrelétricas no Brasil. Varia História, Belo Horizonte, v. 34, n. 65, 2018.

PAGNOCCHESCHI, B. A política de recursos hídricos no Brasil na década de 90 e a fragmentação do Estado. Tese de doutorado, Brasília: Universidade de Brasília, 2000.

PERES, R. O planejamento regional e urbano e a questão ambiental: análise da relação entre o Plano da Bacia Hidrográfica Tietê-Jacaré e os Planos Diretores Municipais de Araraquara e São Carlos, SP. Tese de doutorado, São Carlos, Programa de Pós-Graduação em Engenharia Urbana, 2012.

PIMENTEL, C. P. Crise ambiental e modernidade: da oposição entre natureza e sociedade à multiplicação dos híbridos. Dissertação (Mestrado em Estudos Interdisciplinares de Comunidades e Ecologia Social). Instituto de Psicologia, Universidade Federal do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro, 2003.

SANTOS, J. S.; ACIOLY, Y. A. A privatização das águas no contexto da contrarreforma do Estado brasileiro. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 122, p. 250-274, abr./jun. 2015.

SCHMIDT, J. Historicising the Hydrosocial Cycle. Water Alternatives v. 7, n. 1, p. 220-234, 2014.

SCOTT, J. Seeing like a state: how certain schemes to improve the human condition have failed. New Haven and London: Yale University Press, 1998.

SWYNGEDOUW, E. Dispossessing H2O: The Contested Terrain of Water Privatization. Capitalism Nature Socialism, v. 16, n.1, p. 81-98, 2005.

TAVARES, H. M. Nordeste – 1959: a Lei de Irrigação abortada. Cadernos IPPUR, Ano XXII, n. 1, jan-jul 2008.

VAINER, C.; ARAÚJO, F. G. B. de. Grandes projetos hidrelétricos e desenvolvimento regional. Rio de Janeiro: CEDI, 1992.

VAINER, C. Planejamento territorial e projeto nacional: os desafios da fragmentação. Revista Brasileira de Estudos Urbanos e Regionais, v. 9, n. 1, 2007.

VIEIRA FILHO, J. E. R. Expansão da fronteira agrícola no Brasil: desafios e perspectivas. Texto para discussão, Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada - Brasília: Rio de Janeiro, 2016.

WERNER, D. Desenvolvimento regional e grandes projetos hidrelétricos (1990-2010): o caso do Complexo Madeira. Inc. Soc., Brasília, Distrito Federal, v. 6, n. 1, 2012.

Voltar