DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL NO EXTREMO OESTE DE SANTA CATARINA: a abordagem da Cesta de Bens e Serviços Territoriais


Andréia Tecchio
Doutora em Ciências Sociais pelo Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (CPDA/UFRRJ), Pós-Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas

Adinor José Capellesso
Doutor em Agroecossistemas, Professor no IFSC Câmpus São Miguel do Oeste

Clóvis Dorigon
Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina

Ademir Antonio Cazella
Doutor em Ordenamento Territorial junto ao Centre d'Etudes Supérieures d'Aménagement -Tours/França, Professor titular da Universidade Federal de Santa Catarina e do Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas

Referências 

BUSATO, M. A.; MODEL, D. ESSWEIN, D.; GALLINA, L. S.; TEO, C. R. P. A.; NOTHAFT, S. C. Ambiente e alimentação saudável: percepções e práticas de agricultores familiares. Campo-Território: revista de geografia agrária, v. 10, n. 21, p. 142-158, 2016. 

CAPELLESSO, A. J. Crédito e seguro da agricultura familiar: políticas públicas de apoio à sustentabilidade ou de subsídio a sistemas produtivos de baixa eficiência? Tese (Doutorado em Agroecossistemas) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

CARRIÈRE, J.; CAZELLA, A. A. Abordagem introdutória ao conceito de desenvolvimento territorial. Eisforia,Florianópolis, v. 4, n. especial, p. 23-47, 2006.

CAZELLA, A. A. Développement local et agriculture familiale: les enjeux territoriaux dans le département de l’Aude. 1. ed. Thivernal-Grignon: UMR INRA-INA-PG / Mémoires et Thèses, 2002. v. 1. 395 p.

CAZELLA, A. A.; PAULA, L. G. N.; MEDEIROS, M; TURNES, V. A. A construção de um território de desenvolvimento rural: recursos e ativos territoriais específicos. Redes, Santa Cruz do Sul, v. 24, n. 3, p. 49-74, 2019. 

COLLETIS, G.; PECQUEUR, B. Révélation de ressources spécifiques et coordination située. Economie & Institutions, n. 6-7, p. 51-74, 2005.

DAMBRÓS, O.; ARL, V. Da extensão rural à construção social do conhecimento: um desafio para o desenvolvimento local sustentável. Laranjeiras do Sul, Cenater/Cooperiguaçu, 2015.

D’ANGELIS, W. R. Para uma história dos índios do oeste catarinense. Cadernos do CEOM, Chapecó, SC, n. 1, p. 141-2019, 1995.

DORIGON, C. Mercados de produtos coloniais da Região Oeste de Santa Catarina: em construção. 2008, 437 p. Tese (Doutorado em Engenharia de Produção), Universidade Federal do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, RJ, 2008.

DORIGON, C.; RENK, A. Técnicas e métodos tradicionais de processamento de produtos coloniais: de “miudezas de colonos pobres” aos mercados de qualidade diferenciada. Revista de Economia Agrícola, v. 58, n. 1, p. 101-113, 2011.

_____ . Os sítios simbólicos de pertencimento dos colonos e dos caboclos do oeste de Santa Catarina. Revista Grifos, Chapecó, v. 27, n. 45, p. 140-158, 2018.

DORIGON, C.; RENK, A.; SILVESTRO, M. L.; SILVA, C. A.; SAVIO, J. Produtos coloniais: tradição e mudança. Chapecó: Argos, 2015. 432 p.

GONÇALVES, G. B.; PINTO, T. T.; BURG, I. C.; DOS SANTOS, W. B.; SOUZA, R., OLGLIARI, J. B. Diversidade morfológica de variedades crioulas de milho pipoca conservadas por agricultores familiares do oeste catarinense. Cadernos de Agroecologia, v.10, n. 3, 2016. 

GRISA, C; TECCHIO, A. CHECHI L. A.; SABOURIN, E. As práticas produtivas e alimentares no espaço rural do Oeste de Santa Catarina: a ação pública na busca e na crítica à modernidade. Estudos, Sociedade, Agricultura, v. 28, n. 1, p. 78-108, 2020. 

HIRCZAK, M.; PECQUEUR, B.; MOLLARD, A. Le panier de biens et de service de qualité: vers un modèle de développement territorial durable?. Montagnes Méditerranéennes, Institut de géographie alpine, n. 20, p. 35-42, 2004. 

HIRCZAK, M. et al. Le modèle du panier de biens: grille d’analyse et observations de terrain. Paris, Économie Rurale, n. 308, p. 55-70, 2008. 

HORA, G. B. “Os Dois Lados da Mesma Moeda”: inclusão e exclusão territorial de vitivinicultores no contexto da Indicação Geográfica Vales da Uva Goethe/SC. 2019. 304 p. Tese (Doutorado em Administração) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2019.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo Demográfico 2010. Rio de Janeiro: IBGE, 2010.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFA E ESTATÍSTICA – IBGE. Censo Agropecuário: resultados definitivos 2017. Rio de Janeiro: IBGE, 2019.

MEDEIROS, L. S. História dos movimentos sociais no campo. Rio de Janeiro: Fase, 1989, 116 p.

MILANO, M. Z.; PRADO, F. H.; CAZELLA, A. A.; DESCONSI, C.; DORTZBACH, D. A indicação geográfica como instrumento para criação de uma cesta de bens e serviços territoriais: o caso da erva-mate do Planalto Norte Catarinense. In: Indicações Geográficas e Produtos Tradicionais. Anais eletrônicos do VIII Workshop Catarinense de Indicação Geográfica, Florianópolis, 2019, p. 205-2010. 

MIOR, L. C. Agricultores familiares, agroindústrias e redes de desenvolvimento rural. Chapecó: Unochapecó, 2005.

MOLLARD, A. Qualité et développement territorial : une grille d’analyse théorique à partir de la rente. Economie Rurale, n. 261, p. 16-34, 2001. 

MOLLARD, A., PECQUEUR, B. De l'hypothèse au modèle du panier de biens et de services : histoire succincte d'une recherche. Économie rurale, 300, 2007, p. 109-114.

NIEDERLE, P. A., et al. Dinâmicas sociais no Território Paraná Centro-PR. In: Participação,  Territórios e Cidadania: um olhar sobre a política territorial no Brasil. CAVALCANTI, J. S. B.; WANDERLEY, M. N. B.; NIERDERLE, P. A. (Org.). 2014. p. 237-325.

NÖTZOLD, A. L. V. Nosso vizinho Kaingáng. Florianópolis: Imprensa Universitária da UFSC, 2003. 99 p.

PAULA, L. G. N. Cesta de Bens e Serviços Territoriais: uma possível estratégia de desenvolvimento territorial para a Serra Catarinense?. 2019. 117 p. Dissertação (Mestrado em Agroecossistemas) - Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, SC, 2019.

PECQUEUR, B. Qualité et développement territorial: l’hypothèse du panier de biens et de services territorialisés. Paris, Economie Rurale, n. 261, p. 37-49, 2001. 

_____. O desenvolvimento territorial: uma nova abordagem dos processos de desenvolvimento para as economias do sul. Raízes, Campina Grande, v. 24, nºs 01 e 02, p. 10–22, 2005.

POLI, J. Caboclos: pioneirismo e marginalização. Cadernos do CEOM, Chapecó, SC, n. 23, p. 149-187, 2006.

PERRON, L ; JANIN, C. Valoriser les ressources territoriales: les clés pour l’action – guide méthodologique. Grenoble, Suaci Alpes du Nord – Gis Alpes Jura/Université du Grenoble, 2014, p. 101.

POLI, J. Caboclos: pioneirismo e marginalização. Cadernos do CEOM, Chapecó, SC, n. 23, p. 149-187, 2006.

PORTILHO, F. Consumidores de produtos orgânicos: discursos, práticas e auto-atribuição de responsabilidade ambiental. Porto Seguro: ANPAS, 2008.

RENK, A. A luta da erva: um ofício étnico da nação brasileira no oeste catarinense. Chapecó: Argos, 2 ed., 2006. 250 p.

ROVER, O. J. Obstáculos e exigências para a governança Regional. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, SP, v. 7, n. 1, p. 130-152, 2011.

TECCHIO, A.; CAZELLA, A. A.; SABOURIN, E; CORTES, G. Estratégias alimentares de famílias pobres no Oeste de Santa Catarina. Redes: Revista de Desenvolvimento Regional, v. 24, n. 3, p. 217-240. 2019.

VALENTINI, D. J.; RADIN, J. C. Camponeses no sertão catarinense: a colonização da região Contestado nas primeiras décadas de século XX. InSimpósio Nacional de História - ANPUH, 26, 2011, São Paulo. Anais eletrônicos do XXVI Simpósio da ANPUH, São Paulo, 2011. 14 p.

Voltar