Resumo em Português



Andréia Tecchio
Doutora em Ciências Sociais pelo Programa de Pós-Graduação de Ciências Sociais em Desenvolvimento, Agricultura e Sociedade, da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (CPDA/UFRRJ), Pós-Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas

Adinor José Capellesso
Doutor em Agroecossistemas, Professor no IFSC Câmpus São Miguel do Oeste

Clóvis Dorigon
Doutor em Engenharia de Produção pela Universidade Federal do Rio de Janeiro; pesquisador da Empresa de Pesquisa Agropecuária e Extensão Rural de Santa Catarina

Ademir Antonio Cazella
Doutor em Ordenamento Territorial junto ao Centre d'Etudes Supérieures d'Aménagement -Tours/França, Professor titular da Universidade Federal de Santa Catarina e do Programa de Pós-Graduação em Agroecossistemas

DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL NO EXTREMO OESTE DE SANTA CATARINA: a abordagem da Cesta de Bens e Serviços Territoriais

O enfoque da Cesta de Bens e Serviços Territoriais (CBST) propõe potencializar o processo de ativação interligada dos recursos territoriais. O objetivo deste artigo consiste em identificar bens, produtos e serviços que podem ser articulados pelos atores na promoção do desenvolvimento territorial na Associação dos Municípios do Extremo Oeste de Santa Catarina (Ameosc). A pesquisa de campo foi realizada em agosto de 2019, com dezesseis atores entrevistados. Inventariou-se e caracterizou-se diferentes recursos territoriais, registrando-se graus de ativação diferenciados. Os mais ativados são a Oktoberfest, os produtos coloniais e as sementes crioulas. Em fase inicial ou pouco ativados estão o turismo rural, de aventura e histórico-cultural; locais para realização de eventos e de lazer e a tríplice fronteira. Entre esses identificam-se possíveis sinergias a ser mobilizadas pelos atores para a construção do efeito cesta, sendo que a gestão da governança exige atenção para beneficiar os atores socialmente vulneráveis.

Resumo em Inglês - Texto

Voltar